como resenhar um disco: demi

14 maio

Com intuito de deslanchar a minha carreira como jornalista musical, aceitei um convite do blogueiro famosíssimo e meu amigo pessoal Pedro Veloso para fazer uma crítica do novo álbum da Demi Lovato. Estudamos a obra incansavelmente e chegamos a algumas conclusões que acreditamos dignas de compartilhar com o grande público.

O post original, com uma introdução espirituosíssima está disponível no Emily diz olá, o melhor blog da atualidade. A novidade que trago aqui é a faixa bônus do disco, que foi lançada ontem, e a participação  da minha amiga popstar Fernanda, que vocês já viram por aqui cantando Kiss Me.

Antes de começarmos, gostaria de dar um aviso: você, que espera uma crítica seríssima sobre o novo álbum do Daft Punk ou qualquer outra banda que seja ~~cool~ gostar, pode ir se retirando. Isso aqui é quase um manifesto a favor do pop mainstream 100% comercial e sem valor  ~artístico. A qualidade das músicas é aqui medida por quanto elas fazem o ouvinte voltar aos 16 anos.

Sit back, relax and enjoy o novo álbum da Demi Lovato (clique no nome de cada música para ouvi-la):

 

só essa capa aê custou mais que uma passagem pra europa

01. Heart Attack
heinz: primeiro fiquei meio “what?”, mas fui simpatizando e hoje acho amor. Porém, o mashup com I Knew You Were Trouble ainda é melhor que a música original <3
veloso: depois de dar ao heart um break em 2012, agora ele teve um attack ( kkkk sim, esse é o meu nivel de humor agora: baixo). Mas é legal né: é o 1o single, foi feito com tal propósito, não julguemos, já diria Jesus e Nicole Balhs. E o clipe nos rendeu isso:

se-prostitui

02. Made in the USA

heinz: o título faz pensar na música da Miley Cyrus – e elas são estranhamente parecidas. Divertidinha, mas “I know that we’ll never break ‘cause our love was made in the USA”, QUÊ?
veloso: 2o single, outra feita pra bombar nas rádios. É legal, mas é isso aí galera, vamos lucrar no itune$$$!

03. Without the Love
heinz: muitas verdades, é o hino dos relacionamentos fracasados. Só que a Demi esqueceu de respirar na hora de cantar. Tudo bem, é a emoção, a gente entende.
veloso: música de amor falhado, agora que o bagulho começa a valer a pena!! Já fiquei no finde ouvindo e comendo hersheys. “O quão boa é uma canção de amor sem o amor???” toma essa galera (sim, sou uma adolescente de 15 anos).

04. Neon Lights
heinz: achei que tava ouvindo uma música que odeio muito e sempre toca na rádio, daquelas coisas meu tunt tunt insuportável e passei a faixa.
veloso: essa música faz parte desse álbum mesmo?? Nem parece a voz dela, e o que é esse tunt tunt?? Porém o povo nas ruas está gostando, grande candidata a vencedora dessa edição.

CvKGosn (1)

05. Two Pieces
heinz: aqui começa a interminável sequência de músicas calminhas e chatas. Essa, em defesa, é bem queridinha. Se fosse 2006, até escreveria uma fanfic com ela.
veloso: acho que é música de friendzone né? Acho válido, tá na moda.

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL
fernanda:
só digo que two pieces é a musica pra dançar que nem a taylor disse uma vez, no meio da chuva com o vestido bonito. acompanhada, óbvio, não forever alone. sério.

06. Nightingale
heinz: as gays que me perdoem, mas que música chata. Mimimi mimimi mimimi. Supera essa depressão, Demi. Aposto que vai acabar virando single que nem aquela Skyscraper que, né.
veloso: não parece música da Katy Perry? Acho que a Demi tava lá no 4o andar da gravadora, onde fica o xerox e as músicas largadas, tipo na fabico, e dai disse “me vê a pastinha da Katy?” e daí achou essa peróla do cancioneiro popular que é bem chatinha.

07. In Case:
heinz: por que todas as músicas chatas têm que ser colocadas juntas? Tive que comemorar quando a música acabou, fui muito heroína ouvindo todas em sequência.
veloso: zzzzzzz putz desculpa aê galera, depois da faixa 06 que já era chata demais com essa aí dei uma psicadinha aqui, deixa eu passar uma água no rosto e já já retomo a crítica.

08. Really Don’t Care (feat Cher Lloyd)
heinz: DJs fiquem atentos, essa música é perfeita pra balada. Não sei o quanto o mundo tem falado da Cher Lloyd, mas tem que falar mais.
veloso: não curto essa Cher aê. Só sei quem é por causa daquele belissimo cover que a Livian Aragão fez. mas música animadinha né? Se eu fosse a Demi colocaria como última do show, antes de fingir que vai embora e voltar pro bis. Aí aproveitaria a parte da Cher pra agradecer a banda, a produção, ao público e dizer que foi uma noite especial.

09. Fire Starter
heinz: R-E-V-E-L-A-Ç-Õ-E-S
veloso: entrou por cotas essa aí. Mas amos perguntar para a própria, Demi do que se trata essa música?
tumblr_mdnlbhEoMT1rxk0oro1_250

10. Something That We’re Not:
heinz: quantas indiretas incríveis nessa música, acho que muita gente devia ouvir para se dar conta da vida. “Not gonna happen, dude”.
veloso: minha predileta!! uma grande indireta do dia, inclusive queria revelar aqui que fui eu que compus essa música, obrigado Demi por incluir no álbum e acreditar no trabalho de compositores até então desconhecidos. “i only answer cause I’m too polite” já tô botando de subnick do msn (sim, sou uma adolescente de 15 anos, parte 2).

11. Never Been Hurt:
heinz: sai dessas músicas de balada, Demi. Não é pra ficar gritando no refrão, tá, amiga? Não dá pra vc amar como se nunca tivesse sido machucada, pois é com nossos erros que aprendemos.
veloso: quanto tempo duram os fones de vcs? os meus em média 10 dias úteis, daí essa semana tava com um que só funcionava um dos lados e então criei vergonha na cara e comprei um que custava 25 reais na Fnac, e não uns de 3 reais do camelô. Essa foi a 1a música que ouvi com o fone bom, e não sei se foi a emoção de um som stereo agora em ambos os ouvidos, mas eu curti a música. E tem toda essa vibe “i love youuu like a never huurt”, quem nunca tomou varias tequilas saiu pra balada com esse propósito?

12. Shouldn’t Come Back:
heinz: daquelas pra ouvir escondida no meio das cobertas, abraçada no pote de sorvete.
veloso:PARA TUDO!! acho que essa música é pro pai da Demi #CasosdeFamilia
mortaa

13. Warrior:
heinz: :((( Acabouuu, tchau, Demi, até o próximo!
veloso: música de superação, amo muito. Antes de cantar no show ela vai ficar uns dois minutos dando indireta pra boy lixo. Acabou? Demi, ó tá tudo lindo viu, boa sorte pro cê! só não digo até a próxima, por que ainda tem as bônus tracks pra vazar…

Bonus track: I Hate You, Don’t Leave Me:
heinz: teria sido a melhor balada do cd!! mas melhor que não tenha sido lançada na versão ~comum do cd, que daí os posers não descobrem #16anos #truefan
veloso: NÃO AGUENTO MAIS OUVIR ESSA MINA, mas em nome do factual aí vai: achei uma balada ok, a mais emo do cd, e tá na cara que o eu-lirico é alguém que sofre de transtorno bipolar ou síndrome de borderline.

Vou sentir saudades, Jonas Brothers

16 mar

jonas brothers 404

Parei pra pensar várias vezes em como meu eu de 14 anos estaria se sentindo nessa semana. Eu não estaria surtando. É verdade que os Jonas Brothers, desde que chegaram no Brasil, fizeram uma boa parte do meu dia. Entrevistei um deles e escrevi uns textos sobre o show. E foi muito legal, realmente adorei, mas o tempo todo ficava pensando “bá, imagina se fosse uma banda que eu gostasse!”

Mas e por que eu nunca gostei dos Jonas Brothers? Quer dizer, sempre achei eles uns queridos e ainda sei cantarolar Mandy e Lovebug (lembro da apresentação no VMA), mas eles nunca chegaram a se tornar uma das minhas bandas favoritas. Pode ser até que isso tenha acontecido por eu já ter passado da idade quando eles estouraram, mas eu tenho um outro palpite. Os Jonas Brothers são muito legais pra mim. Eles chegaram a colocar uma menininha em cima do palco, só porque ela era desse tamanhinho, e o Joe cantou uma música inteira abraçada nela. As fãs deles também são legais, várias guriazinhas queridas curtindo o show de camiseta e tênis. Não dava, eu tinha mesmo que gostar de umas bandas que me estressam até hoje fazendo bobagem e cujas fãs perderam a noção de como se vestir há um bom tempo.

jonas brothers 272

Cheguei na fila no meio da tarde para tirar umas fotos de quem surtava. As primeiras da fila estavam há onze dias, ONZE fuckin’ DIAS. Toma essa, gente que acha que uma noite é motivo de surto (pior que é). A frente do Pepsi estava lotada de gente e fiquei chocadíssima – depois fui descobrir que certamente todo mundo que estava lá dentro já estava na fila àquela hora, porque o lugar estava vazio.

jonas brothers 287

A pista comum

Antes de deixar vocês com minhas anotações do show comentadas, queria falar um pouco sobre: O PEPSI ON STAGE VAZIO. Acho que esse é o terceiro ou quarto show consecutivo que vou lá e o público não ocupa nem metade do espaço que a casa tem capacidade. Descobri que mudaram a lotação máxima de 7 mil para 4 mil pessoas depois do que aconteceu em Santa Maria e eu sei que fãs adolescentes se esmagam na frente, ocupando metade do espaço que ocupariam e respirando com bem mais dificuldade que o normal, mas ainda assim não se justifica. Primeiro que PISTA VIP em um lugar em que cabem 4 mil pessoas chega a ser ilógico e é um roubo de dinheiro vergonhoso. Segundo que alugar o Pepsi e alugar o Teatro do Bourbon, já me disseram, é praticamente o mesmo preço. Sem contar que o Teatro é um milhão de vezes melhor para ouvir e assistir ao show, o Bourbon é muito mais confortável para os pais ficarem esperando sem precisar entrar e ficar jogados no chão na frente do lugar. Mas por que fazer sentido, né?

Obrigada por aguentarem meu blablabla e agora, para não me estender demais com textos longuíssimos, escolhi por comentar o show através das anotações que fiz durante a apresentação porque sou muito profissional #jounalismo

Desligaram o som da Drive bem no meio de Olhando pra Você
*Primeiro que: Drive? Que ano é hoje? Pack ainda tenho sua foto de colírio da Capricho em alguma caixa obscura no meu quarto. Sdds 2005. E Olhando pra Você <3 Tava tão feliz curtindo muito o show, cantando todas as músicas (as deles, porque os covers tavam muito vergonha alheia). Mas passaram do tempo e a produção não tava de brinks e tchau, Drive.

jonas brothers 295

Adoro muito pais espirituosos

O lugar tá vazio, 1/3 do Pepsi, ninguém no mezanino, mas elas gritam mais alto que 3 Pepsis
*Juro que nunca vi uma gente gritar tanto – e isso que eu berro, hein.

jonas brothers 278

Wendy e Peter Pan da música Fly With Me, os irmãos Laura e Augusto Pacheco. Olha que queridos, eles tavam até com cartazes pra chamar atenção da banda.

Bem divertidinho esse opening act, Mikey Deleasa, e as minas curtindo muito porque é cunhado do Kevin.

Segurança do meu lado na grade da pista normal as gurias gritando pra não ficar na frente delas: “É difícil” “Bá”
*Sentadinha bem na frente da grade, naquelas plataforminhas(?) que ficam de apoio e esperando o show começar, fiquei com pena da segurança, que tinha que ficar em uma dança de acordo com os gritos “na minha frente nãããão, vai mais pra lá”. E olha que eu não curto seguranças em shows.

Antes do show começar, cada música que acaba é um surto

Às nove em ponto: coro “Jonas Jonas Jonas”

21h07

ELAS ENCHEM UMA CASA DE SHOWS

Praq esses óculos escuros Joe Jonas

Caralho, o chão do Pepsi tá tremendo

E essa Times Square loca no telão (projeções muito loucas o show inteiro)

As fãs cantam mais alto que todos e sabem todas as letras. Todo mundo que tá aqui é fã mesmo (tem que ser)
*Tem que ser fã, eu digo, porque a banda passou os últimos três anos em hiato, não lançam nada novo desde 2009, eu acho, não tocam mais no rádio, etc, então só lembra deles e paga o ingresso caríssimo quem realmente gosta.

KD conversa
*Bandas adolescentes são conhecidas por NÃO CALAREM A BOCA, pelo menos essa é a impressão que a minha mãe tem (e passou pra mim). Os Jonas Brothers não, eles falam só o necessário e tocam o tempo todo. O show foi uma hora e meia de MÚSICA e não de conversa, o que é legal, mas pra quem tá acostumada com o contrário, falta alguma coisa.

jonas brothers 325

Pedro curtiu o baixista

jonas brothers 356

O surto quando o Kevin cantou

Animação enlouquecida na nova música “Let’s Go”
*Achei a música bem legal, um pouco mais ~dançante e bem divertidinha.

Ed Sheeran <3 meu coração até skipped a beat e as minas sabem cantar já pode vir pra cá!!!!
*Eu sabia que eles tinham tocado “The A Team” em São Paulo e achei extremamente wtf, mas aqui em Porto Alegre achei muito amor, inclusive dei uns pulinhos quando começou e me agarrei no braço do Pedro. Foi a única música que cantei do início ao fim HAHAHA e achei amor que todo mundo tava cantando junto, só fiquei pensando se elas sabiam sobre o que é a letra, mas faz parte.

Muitas lágrimas em “Fly With Me”, MUITO amor
*Essa “Fly With Me” me pareceu meio que uma favorita dos fãs, no estilo “Too Close For Comfort”, TODO MUNDO na minha volta começou a chorar, um amorzinho, até fiquei emocionada. Mas a letra é bonitinha, olha só: “If it’s you and me forever/ If it’s you and me right now/ I’d be alright/ Be alright/ We’re chasing stars to lose our shadow/ Peter Pan and Wendy turned out fine/ So won’t you fly with me?”

Wedding Bells, música pra Miley Cyrus, TODO MUNDO sabe cantar e nem foi lançada

jonas brothers 345

Esse menino Nick Jonas nunca sorri?

Joe, como frontman, com a melhor presença de palco. Se bem que o palco é tão lotado que fica foda de se mexer

Chamaram uma fã de uns 5 anos no palco e o Joe deu uma rosa pra ela e um beijo na bochecha e depois ela deu beijinhos em todos. O Joe passou a música inteira abraçado nela e ela chorando. Ele disse que chamou porque ela era muito pequeninha. EU TAMBÉM TENHO MEIO METRO DE ALTURA GLR ME CHAMA NO PALCO.
*Tô sonhando/chorando com esse momento até agora ok.

jonas brothers 399

AI MEU CORAÇÃO DE FÃ

Fãs cantaram as últimas músicas “S.O.S” e “Burnin’ Up” mais alto que a banda e o Pepsi vazio veio abaixo Bem divertindo o fim e o show em geral, gostei desses meninos Jonas. MAS TO VELHA, quero ir pra casa dormir.

Natasha Heinz
@natasha_wh

Fotos: Pedro Veloso

Alô, galera

17 jan

OI, COMO VAI VOCÊ? Há quanto tempo, né? Eu tava morrendo de saudades.

yDorN

Como absolutamente ninguém – tirando as mil e setecentas pessoas que entraram aqui, claro – notou, a gente não posta nada desde o dia 31. Foram quinze dias de muita reflexão, seja em Porto Alegre ou na Europa. Estávamos muito ocupadas organizando formaturas, intercâmbios e os nossos quartos. Ainda não sabemos muito bem o que fazer com as nossas vidas esse blog daqui pra frente, mas não queremos abandonar ninguém, por isso fizemos uma playlist das coisas que estamos ouvindo para vocês se divertirem um pouco enquanto fazemos outras coisas nas nossas vidas.

Natasha: Ele é ruivo. Ele é inglês. Cada uma dessas características por si só já gritaria “AME ESSE CARA”, porém, ele é ambos, então… sei lá, ame o Ed Sheeran. Para quem é meio fora da realidade que nem eu, talvez já tenha visto o nome dele no novo álbum da Taylor Swift ou sabe que ele escreveu a meiguíssima Little Things pro One Direction. Quem tem mais noção da vida, provavelmente já viu o clipe de Give me Love, que poderia ser a minha escolha, mas não é. Passei o fim de semana ouvindo o cd e me apaixonei aos poucos por cada uma das músicas. No tumblr, 90% das gurias parecem ser muito fãs deles e se sentem confortáveis para demonstrar isso de forma incompreendida pela sociedade, elas explicam o porquê dele ser melhor que qualquer outro cara no mundo. Eu tô de boa, mas queria compartilhar com vocês a minha faixa favorita (por enquanto) do cd, que é Gold Rush. Por que ela? Só posso explicar fazendo um coração com as mãos, dizendo “I was told to put my job in front of you but it won’t hold me like you do” e deixando a dica para vocês prestarem atenção no so-ta-que.

ps. Quando achei que não fosse possível melhorar, descobri que ele é amigo do Rupert Grint. Superem isso e isso, eu não vou conseguir.

Gabriela: Que Marina Gasolina o que, Tropicalbacanal que é a magia da vez. Fazia séculos que eu não ouvia Bonde do Rolê, mas, por algum motivo aleatório, lembrei da existência desses lindos e parei pra ouvir o cd novo que, apesar de ter algumas maçãs podres, mostra que a banda amadureceu, descobriu outros ritmos além do funk e aprendeu a cantar em inglês. Brazilian Boys automaticamente virou o hit número um da minha playlist do ônibus e sempre faz eu me imaginar em um buggy amarelo dando um rolê pelas areias brancas de uma praia no nordeste. E o clipe, na minha opinião, é uma sinopse do que é o verão brasileiro – com muita gente bonita, suada e cheia de sal.

Cris:  Depois de muito tempo sem conseguir encontrar alguma música boa – e nova – para ouvir, minha prima veio e me apresentou essa banda francesa. O estilo da BB Brunes é bem diferente daquilo que eu costumo ouvir, porém era disso que eu estava precisando: alguma coisa nova, que me desse vontade de ouvir e ir procurar mais sobre a banda. No início pode ser um pouco estranho escutar uma música em francês e não entender absolutamente nada e não conseguir acompanhar a letra, mas vale a pena mudar e deixar o inglês de lado um pouco para ouvir uma banda tão querida.

 

Carina: Escolher uma música para o verão~~ é mais difícil que vocês imaginam, mas, bem, depois de muito pensar (talvez nem tanto assim) elegi uma que eu gosto o suficiente para conseguir ouvir e esquecer do calor desumano que habita (sim, o calor é uma entidade) Porto Alegre. Grouplove é aquela banda que começa a tocar e tu já abre um sorriso e começa a dar aquela dançadinha discreta que acha que ninguém vai perceber (todos percebem, mas não tem problema, é bonitinho). Naked Kids é uma música que fala das viagens entre amigos, bebida, drogas, nadar pelado e tudo mais que os DJOVENS fazem nessa estação bonita.

ps. Sugiro procurar as outras músicas dessa querida banda californiana, que todas tem esse jeitinho querido e animadinho.

“It’s summer time fun, relax and stay young”

Queríamos, por fim, indicar uma música que nós todas achamos que deveria estar tocando non-stop no mp3/celular de vocês. Sem palavras para explicar o que sentimos ao ouví-la, deixamos você com essa PÉROLA da música brasileira. Um beijo e aproveitem.

Ouçam as músicas, tirem suas próprias conclusões e montem uma playlist. Boas férias!

tuff

2012 em músicas

31 dez

Chega o final do ano e, junto com ele, vem as festas, as músicas (cof cof Simone), a comida, a bebida e uma leva imensurável de listas de melhores e piores músicas, álbuns, bandas, seriados, filmes. Tudo. Tem até lista de lista.

A gente resolveu fazer algo um pouco diferente. Percebemos que a melhor música do ano não precisa necessariamente ter sido lançada no ano em si. Ela pode ter 5, 10, 20 ou sei lá, 100 anos. O importante é que ela represente algo para quem a escuta.

Por isso, perguntamos para algumas pessoas que músicas que representam 2012 para elas e por quê.

As respostas variam de músicas e histórias ~~profundas, para bonitinhas, para talvez até meio deprê. Mas cada uma delas representa 2012 para alguém.

Julia M.

Young, Wild & Free – Wiz Khalifa feat. Snoop Dogg

Eu não sou muito fã de Wiz Khalifa, mas essa música representa todas as vezes que eu sai e me diverti com os meus amigos em 2012: “We’re just having fun, we don’t care who sees. So what we go out? That’s how its supposed to be, living young and wild and free”

 

 

Popy M.

Once and for All – Clock Opera

Once and for All resume bem meu 2012 porque a certa altura do ano percebi que tinham vários aspectos na minha vida que não estavam como eu desejava. Resolvi abrir mão de muitas coisa e repensar os meus objetivos, como eu sou perfeccionista e overthinker demais, isso gerou muita insegurança e medo de errar, e essa música dá uma puta força: ” AS COISAS MUDAM, TE ERGUE, RAPAZ, GRITA A PORRA DO TEU NOME E ACREDITA, VAMO LÁ!”.

No final das contas (e do ano, hehe), a grande maioria dessas mudanças foram mais positivas do que eu poderia imaginar. Obg, Clock Opera! (:

 

 

Ana Julia C.

Skin and Bones – Motion City Soundtrack

Toda essa coisa de terminar o colegial te faz pensar bastante sobre ~~a vida. Sem contar a parte que você se sente um lixo 110% do tempo quando “fracassa”.

 

 

Cândida S.

Dois cafés – Tulipa Ruiz e Lulu Santos

É uma música que marcou meu 2012 porque traduz exatamente como é a vida. Todos buscamos um lugar sem saber qual, e isso representou muito o que passei, já que saí do interior e me mudei para Porto Alegre. Sobretudo nesse trecho aqui me identifico demais:

“Ter que manter a vida mesmo sem ter um lugar
Daqui pra frente o tempo vai poder dizer
Se é na cidade que você tem que viver
Para inventar família, inventar um lar.”

Comecei então uma rotina totalmente diferente da qual estive acostumada. Por isso, senti na pele cada verso que os dois escreveram. Sem contar que sou fã da Tulipa e a parceria com o Lulu deu super certo.

 

 

Paula K.

Nothing But Heart – Low

Uma amiga que tem ótimo gosto musical me apresentou eles e essa música ficou repetindo na minha cabeça por muito tempo. Ela é incrível. Não sei explicar porque marcou 2012 sem ser sentimental, mas ela me ajudou um pouco a me conhecer melhor. E como a música diz “i am nothing but heart”. E ela me embalou em várias noites em que eu fiquei lendo e tal.

 

 

Jordana

Último Romance – Los Hermanos

Foi a primeira música que meu namorado tocou para mim no Skype, e a mesma que ele usou para me pedir em namoro, além de usar o título dela para definir nosso namoro.

 

 

Bruna B.

Turn Up the Radio – Madonna e Skinny Love – Bon Iver

Ao mesmo tempo que foi um ano muito calmo e meio triste, que nem a do bon iver, foi muito louco. E a musica da madonna fala tipo de momentos que a vida ta na merda e tu tem que dar um jeito de se reerguer e tal.

 

E a ~reflexão que fica com esse post de fim de ano é como a música funciona. Quer dizer, [momento pedro bial] ela pode não significar nada para ti, mas para alguém ela pode representar um ano inteiro. [/momento pedro bial]

 Feliz ano novo procêis.

enhanced-buzz-4628-1356106538-0
(tentem não ficar assim, amanhã)

2012 em paródias – PARTE 3

29 dez

Terceira e última parte do nosso “2012 em paródias”. Espero que 2013 nos traga muitas músicas pop, muitas paródias e muito mais tempo pra perder em frente ao YouTube.

Aqui vai a parte 3:

GANGNAM STYLE – PSY

reparem o Dougie Poynter no canto esquerdo

Pfvr, reparem o Dougie Poynter no canto esquerdo

Sim, eu deixei o melhor pro final. Gangnam Style é uma das melhores músicas da década, eu diria – não pela música em si, mas por todo o escândalo que ela causou. Um cara meio gordinho + uma dança muito bizarra + com um clipe ainda mais bizarro + com menininhas asiáticas bonitinhas (para a felicidade dos punheteiros) e uma letra que ninguém sabe o que tá cantando, mas canta mesmo assim. O hit do adorável Psy foi até citado por Nostradamus em suas profecias e em menos de seis meses se tornou o vídeo mais curtido – com 6310064 likes – e mais acessado do YouTube – com 1042271776 views (dados de 25 de dezembro – sim, eu não tenho vida social e to fazendo um post no dia do natal).

  1. ACOUSTIC VERSION

    A conclusão que eu chego é que tudo fica melhor com um ukulele. Versão acústica fofíssima que inclui até a participação especial de um gato.

  2. HOT DOG CONDOM STYLE

    What the actual fuck? Esse vídeo é completamente sem noção, mas nem por isso deixa de ser engraçado. É um misto de vergonha alheia com “por que que eu to vendo isso?”

  3. BABY GANGNAM STYLE


    Eu sei que é estranho passar de um salsicha em uma camisinha pra um bando de bebês dançando, mas tudo bem, a vida continua. Bebês lindos que vão fazer o teu útero chorar um pouquinho. Parabéns para as mamães que se prestaram a fazer roupas e rebolar na frente de uma câmera.
  4.  WHIP IT GUNMAN STYLE!

    Admito que não consegui ouvir algumas coisas por causa do instrumental, que tá bem mais alto que a voz, mas isso não impede que se entenda o vídeo. Ideia super criativa, que foi além do costumeiro “asiático-de-terno-e-óculos-escuros-com-cavalos”. Final bem nada a ver, mas ok.

  5. OPEN CONDOM STAR

    Achei que eu era a única pessoa que entendia palavras em inglês quando ouve essa música, mas parece que não estou sozinha. Só que eu sou mais óbvia que o moço do vídeo e sempre canto “I was outta my head” ao invés de “not a sauna air” – que na verdade é “naneun sanai”. Coreano é uma língua estranha.

BÔNUS

Se achou que eu ia falar do Cauê Moura e do Latino, você está muito enganado Então, apresento a vocês: UMMA GANGNAM STYLE:


O dançarino de hip hop, Mike Song, resolveu botar a mãe dele pra dançar uma coreografia meio robô, meio Psy. A super concentração da mãe + os movimentos dela, que são super duros = genialidade. Ficaram tão pop que até a Ellen Degeneres convidou eles pro programa.

Gabriela

@gabrielacav_

2012 em paródias – PARTE 2

28 dez

Bom, como expliquei no post anterior, 2012 não foi apenas o ano em que a Carminha virou a Rainha do Lixão, todos viram a Caroline Dickmann pelada e finalmente descobrimos que é a Gossip Girl – também foi o ano em que as pessoas perceberam que dá pra ganhar dinheiro e fama fazendo paródias para o YouTube.

Aqui vai a parte 2:

CALL ME MAYBE – CARLY RAE JEPSEN

Call Me Maybe - Carly Rae Jepsen

O hino do verão da América do Norte, Call Me Maybe virou uma das músicas mais citadas, mais imitadas, mais idolatradas em pouquíssimo tempo. Legítima música pop – clipe engraçadinho, cantora bonitinha com cara de 15 anos (mas que na real tem 27 anos) e aquela maldita letra tosca que te faz cantar toda vez que alguém fala “HEY!”

  1.  CORGI RAE – PET PARODY

    Um corgi luta por seu amor não correspondido. O que pode ser melhor do que isso?


  2. COOKIE MONSTER – SHARE IT MAYBE

    “You cookie showing and me hunger growing”

    Essa música revolucionou a forma como eu vou pedir biscoitos a partir de hoje. Cookie Monster em sua adorável caça por cookies em um escritório.

     

  3. CHATROULETTE VERSION



    Sexta-feira à noite, tu não tem dinheiro/vida social/vontade para ir pra balada, então resolve entrar no Chatroulette e, em meio a cinquenta mil horny guys, tu encontra isso. Sério, não tem como não rir desse vídeo (ainda mais porque o cara parece o namorado da Natasha).

  4. THE KEY OF AWESOME PARODY

    “Never stick you dick in crazy” nunca foi tão realista quanto nessa paródia. Parece que todo mundo resolveu fazer vídeos envolvendo mulheres loucas e stalkers, mas o do Key of Awesome foi eleito o melhor.

  5. SAVE ME MAYBE

    Super Mario World nunca foi tão cool antes. Brincadeira, é claro que já foi, mas esse vídeo é bem engraçadinho e bem feito, com direito a um final inesperado e um Toad bem bonitinho.

BÔNUS

Uma das coisas que mais chama atenção é a quantidade de gente gostosa linda fazendo vídeos dessa música, então aqui vai a seleção dos melhores vídeos com pessoas seminuas cantando:

PARA QUEM GOSTA DE MENINAS:

Parabéns, misses, por fazerem o Donald Trump participar.

 

E PARA QUEM GOSTA DE MENINOS:


Sem palavras.


Acho que são os homens de farda. Ou talvez o cara com o bigodinho. Não sei dizer, mas achei esse vídeo muito sedutor. (E sim, essa é uma paródia do vídeo das Miami Dolphins Cheerleaders).

Gabriela

@gabrielacav_

2012 em paródias – PARTE 1

26 dez

Esse ano o YouTube nos trouxe um diferencial: paródias de músicas pop. Não que antes de 2012 não houvessem paródias no site, mas neste ano elas viraram algo extremamente cool. Todo mundo quer fazer – mas nem todo mundo consegue fazer uma decente. Porém, se tu procurar bem, é possível encontrar ótimas versões – inclusive algumas que são melhores que as músicas originais. Então, após um árduo trabalho de seleção, escolhi os melhores vídeos das três principais músicas mas parodiadas deste ano.

Aqui vai a parte 1:

SOMEBODY THAT I USED TO KNOW – GOTYE FEAT. KIMBRA

Aomebody that I Used to Know - Gotye feat. Kimbra

Musiquinha pseudo-hipster, com uma introdução pseudo-dubstep, uma melodia maldita que gruda na cabeça e nunca mais te abandona e um clipe bem legal. Apesar de a voz da Kimbra estar bem parecida com uma gata no cio (mas só nessa música, porque a voz dela é toda linda), Somebody That I Used to Know pirou a cabeça da galera, que começou a fazer covers, paródias e tudo mais o que se tem direito.

1. PENTATONIX COVER

 

Quando falam “coral”, tu pensa em Glee? Shame on you. A partir de hoje aprenda a pensar “Pentatonix” quando falaram sobre corais. Ótimo cover, ótimos vocais e eu não sei nem o que dizer sobre o beat box. Nada mais.

2. SOME STUDY THAT I USED TO KNOW

 

Fórmula de Bhaskara? Teorema de Pitágoras? Sistema reprodutivo de plantas briófitas? Quem se importa? Sim, todos nós já nos pegamos pensando por que diabos aprendemos tanta coisa no colégio sendo que nuncas as usaremos pra nada. O collegehumor uniu esse third world problem na música hipster mais adorada do momento.

3. ACAPELLA VERSION BY MATTHIAS HARRIS

 

A principal questão sobre esse vídeo é: para onde eu devo olhar? Bom, a única coisa que eu tenho pra dizer é: vocês precisam por em 02:58 e observar o moço Harris de terno. Ok. Viu? É, pois é. Vemk, Matthias Harris, seu lindo.

4. TWO KIDS IN A CAR

 

O lip singing mais fofo já antes visto no universo. Apesar da cara de má, a guriazinha é super adorável e dubla muito bem a parte da Kimbra, enquanto o menino sabe muito bem incorporar o espírito da música. Talvez eu esteja levando muito a sério um vídeo de duas crianças que talvez nem tenham muita noção do que estão cantando, mas o fato é de que dá pra ver que eles adoram fazer isso e são muito fofos.

5. CHINS TALKING PARODY

 

Aposto que tu vai ter pesadelos com esse vídeo. Pelo menos eu tenho certeza de que terei. Somebody That I Used to Know chegou até o lado negro do YouTube e ganhou uma versão estupidamente bizarra – ainda que criativa.

BÔNUS

1 – Depois de tantos covers, tantos vídeos, tantas paródias, tantas dublagens, o próprio Gotye decidiu fazer uma homenagem aos seus “somebodies”, reunindo várias cenas dos fãs em um vídeo-agradecimento.

 

2 –  Em alguns posts anteriores eu comentei sobre covers da música do Gotye feitos pelo  Kevin Hammond e pelo Walk Off The Earth – e aproveitando esse belo cover com cinco pessoas e um violão, apresento a vocês: seis pessoas e um ukulele.

 

Eu sei que isso é um cover de um cover, mas é digno de atenção.

Gabriela

@gabrielacav_